Qualidade do Ar

Poluentes

Considera-se poluente qualquer substância presente no ar e que, pela sua concentração, possa torná-lo impróprio, nocivo ou ofensivo à saúde, causando inconveniente ao bem estar público, danos aos materiais, à fauna e à flora ou prejudicial à segurança, ao uso e gozo da propriedade e às atividades normais da comunidade (CONAMA n° 03/1990).

O poluentes que servem como indicadores de qualidade do ar e que são medidos em razão da freqüência de ocorrência e de seus efeitos, são:

Material Particulado (PS, PTS e PM10)

Características: Pode ser sólido ou líquido, de granulometria, forma e composição química variada de acordo com sua fonte de origem e os processos físicos e químicos de transformação aos quais foi submetido durante seu transporte na atmosfera.

Fontes principais: Pilhas de estocagem de material granulado, processos de pelotização e siderurgia, cimenteiras e atividades da construção civil, resuspensão de partículas depositadas ou constituintes de vias pavimentadas e não pavimentadas, veículos (escapamentos e frenagem) e fontes naturais como o mar que emite partículas de sais, além das queimadas, por exemplo.

Efeitos gerais sobre a saúde: Para as partículas mais finas os efeitos estão predominantemente relacionados aos sistemas respiratórios e cardiovasculares e a sensibilidade está associada às condições individuais de saúde e faixa etária, embora toda a população seja afetada. De acordo com a OMS, não existem evidências suficientes que indiquem um limite abaixo do qual não ocorram efeitos à saúde humana. Os efeitos à saúde podem ser causados por exposição de longo ou curto prazo ao poluente. No caso das partículas mais grossas as reações mais comuns dizem respeito à impossibilidade de gozo pleno da propriedade e ao desconforto causado pelo incômodo da sujidade gerada pela deposição de material sobre as superfícies de uso cotidiano

Efeitos gerais sobre o meio ambiente: Alteração da visibilidade; alteração no balanço de nutrientes de lagos, rios e do solo; danificação da vegetação e alteração na diversidade do ecossistema. Além disso, pode causar danos estéticos (manchas e danificações de rochas e outros materiais).

Dióxido de Enxofre (SO2)

Características: Gás incolor com forte odor (semelhante ao produzido na queima de palitos de fósforo).

Fontes principais: Processos que utilizam queima de óleo combustível, refinaria de petróleo, veículos a diesel, polpa e papel.

Efeitos gerais sobre a saúde: A inalação, mesmo em concentrações muito baixas, provoca espasmos passageiros dos músculos lisos dos bronquíolos pulmonares. Em concentrações progressivamente maiores, causam o aumento da secreção mucosa nas vias respiratórias superiores, inflamações graves da mucosa e redução do movimento ciliar do trato respiratório. Pode, ainda, aumentar a incidência de rinite, faringite e bronquite.

Óxidos de Nitrogênio (NOx)

Características: Gases.

Fontes principais: Combustões em veículos automotores, indústrias, usinas térmicas que utilizam óleo ou gás e incineradores.

Efeitos gerais sobre a saúde: O NOx é altamente tóxico ao homem, pois aumenta sua susceptibilidade aos problemas respiratórios em geral. Além disso, é irritante às mucosas e pode nos pulmões ser transformado em nitrosaminas (algumas das quais são carcinogênicas).

Efeitos gerais sobre o meio ambiente: Pode levar a formação da chuva ácida e consequentemente danos à vegetação e agricultura. Além disso, contribui para formação do ozônio na troposfera; para o aquecimento global; formação de compostos quimiotóxicos e alteração da visibilidade.

 

Ozônio (O3)

Características: Gás incolor e inodoro nas concentrações ambientais, sendo o principal componente do “smog” fotoquímico.

Fontes principais: Formação, na troposfera, a partir da reação dos hidrocarbonetos e óxidos de nitrogênio na presença de luz solar.

Efeitos gerais sobre a saúde: Provoca danos na estrutura pulmonar, reduzindo sua capacidade e diminuindo a resistência às infecções. Causa ainda, o agravamento de doenças respiratórias, aumentando a incidência de tosse, asma, irritações no trato respiratório superior e nos olhos.

Efeitos gerais sobre o meio ambiente: É agressivo às plantas, agindo como inibidor da fotossíntese e produzindo lesões características nas folhas.

Monóxido de Carbono (CO)

Características: Gás incolor, inodoro e insípido.

Fontes Principais: Combustão incompleta de combustíveis fósseis (veículos automotores principalmente) e outros materias que contenham carbono na sua composição.

Efeitos Gerais sobre a saúde: Combina-se rapidamente com a hemoglobina ocupando o lugar do oxigêncio, podendo levar a morte por asfixia. A exposição crônica pode causar prejuízos ao sistema nervoso central, cardiovascular, pulmonar e outros. Também pode afetar fetos causando peso reduzido no nascimento e desenvolvimento pós-natal retardado.

Hidrocarbonetos (HC)

Características: Gases e vapores com odor desagradável (similar à gasolina ou diesel).

Fontes principais: Combustão incompleta e evaporação de combustíveis e outros produtos voláteis.

Efeitos gerais sobre a saúde: Causa irritação aos olhos, nariz, pele e trato respiratório superior. Além disso, vários hidrocarbonetos são considerados carcinogênicos e mutagênicos.

Efeitos gerais sobre o meio ambiente: Participam da formação de oxidantes fotoquímicos na atmosfera, juntamente com os óxidos de nitrogênio (NOx).

Atualizado em 22/11/2017

2015 / Desenvolvido pelo PRODEST utilizando o software livre Orchard