08/08/2019 15h48 - Atualizado em 09/08/2019 10h18

Unidades de Conservação do Estado contam com ações de inclusão social e acessibilidade

Foto: Paulo Sena/Seama

Educação ambiental, acessibilidade e inclusão social andam de mãos dadas nas Unidades de Conservação do Estado, por meio do projeto “Trilha Cidadã”. Em solenidade nesta quinta-feira (8), a Gerência de Educação Ambiental do Instituto Estadual de Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Iema) entregou sete tablets para que sejam utilizados durante visitas por pessoas com deficiência.

No projeto “Trilha Cidadã”, mais de 64 áudios da fauna e 59 vídeos em libras são expostos em tablets durante visita às Unidades de Conservação para tornar os espaços naturais mais acessíveis à comunidade surda e às pessoas com deficiência visual. Isso acontece através dos projetos “Guia Sonoro” e “Janela Cidadã”.

"Com o Trilha Cidadã, o Iema aproxima a sociedade dos bens naturais de forma inclusiva. O objetivo é oferecer estrutura adequada ao número e ao perfil de pessoas que procuram as Unidades de Conservação em busca de contato com a natureza", avalia o diretor-presidente do Iema, Alaimar Fiuza.

Para a gerente de Educação Ambiental do Iema, Anna Tristão, o projeto "Trilha Cidadã" tem grande potencial para a inclusão de pessoas com deficiência auditiva e visual, sendo um espaço promissor para ações de educação ambiental. "Isso contribui para o empoderamento da área do entorno das Unidades de Conservação, tanto para o público visitante quanto para os próprios servidores das unidades”, ressalta.

Janela Cidadã

Com o “Janela Cidadã”, foram produzidos 59 vídeos em libras dos pontos interpretativos das principais trilhas de sete Unidades de Conservação gerenciadas pelo Iema. Esse material, disponível em tablets, funcionará durante a trilha como uma “janela de Libras” ou “janela com intérprete”, um recurso conhecido em vídeos com tradução em libras. A iniciativa foi possível devido ao trabalho colaborativo com o Centro de Atenção ao Surdo de Vitória e o Centro de Referência em Formação e em Educação a Distância (Cefor), do Instituto Federal do Espírito Santo (Ifes).

Guia Sonoro

Com o “Guia Sonoro” foram catalogados mais de 64 áudios de vocalizações da fauna presente em sete Unidades de Conservação gerenciadas pelo Iema. Com o material disponível em tablets será possível utilizar nas atividades de Educação Ambiental e durante as trilhas.

As Unidades e Conservação beneficiadas foram: Parque Estadual Paulo Cesar Vinha (Guarapari), Parque Estadual Cachoeira da Fumaça (Alegre), Parque Estadual Pedra Azul (Domingos Martins), Parque Estadual Forno Grande (Castelo), Parque Estadual de Itaúnas (Conceição da Barra), Parque Estadual Mata das Flores (Castelo) e Reserva Biológica Duas Bocas (Cariacica). O “Trilha Cidadã” conta com recursos do Fundo de Defesa do Meio Ambiente (Fundema), processo Nº 77813898.

Sinalização acessível

Durante a solenidade de entrega dos tablets no Iema também houve entrega de placas de sinalização das instalações em Libras, português e braile. As placas serão utilizadas em instalações como banheiros, sede das Unidades de Conservação e biblioteca, por exemplo.

As trilhas também terão placas em português e braile para atendimento de pessoas cegas e haverá também placas de mapa tátil em Libras, português e braile também.

“A placa mapa tátil foi elaborada para atendimento de pessoas cegas. Os mapas táteis têm a função de contribuir com a noção espacial e orientação e trazem e relevo o mapa das trilhas e instalações da Unidade de Conservação. O conteúdo central das placas das trilhas é em braile, enquanto o conteúdo em português está em segundo plano, apenas para identificação. Essas placas são, portanto, auxiliares das placas já existentes nas trilhas, e por isso, sua localização será próxima a essas, ao lado ou à frente das placas interpretativas já existentes, conforme melhor adequação”, informa a coordenadora do projeto “Trilha Cidadã”, Karla Fafá.

As placas de sinalização foram elaboradas com recursos do Fundema, processo Nº 77814053. Participaram da solenidade de entrega dos tablets: o diretor-técnico do Iema, Elias Morgan; a presidente do Instituto Luiz Braille, Elizabeth Mutz; o coordenador geral de tecnologias educacionais do Cefor, Elton Vinícios Silva; a diretora da Escola Oral e Auditiva (Sedu-ES), Eliane Telles de Bruim Vieira e o gerente de Recursos Naturais do Iema, José de Aquino.

Informações à Imprensa

Assessoria de Comunicação do Iema/Seama

Flávia Fernandes / Paulo Sena

(27) 3636-2592 / (27) 99977-1012

meioambiente.es@gmail.com

Facebook: Meio Ambiente ES

Instagram: @meioambientees

2015 / Desenvolvido pelo PRODEST utilizando o software livre Orchard