25/10/2019 13h28 - Atualizado em 28/10/2019 13h18

Monumento Natural O Frade e a Freira capacita professores de Rio Novo do Sul

Foto: Cacá Lima

O Monumento Natural O Frade e a Freira (Monaff) vai realizar, no próximo dia 09 novembro, das 8 horas ao meio-dia, uma oficina de interpretação de trilhas, com o educador socioambiental Geraldo Dutra. A capacitação será realizada na propriedade do Sr. João Martins, referência no entorno do Monaff, no município de Rio Novo do Sul.

Serão oferecidas 25 vagas e o foco principal da oficina será a capacitação de professores do município para que possam trabalhar em atividades extraclasse nos ambientes naturais.

“A oficina faz parte do projeto Borboletras e acontece em parceria com a Secretaria de Educação de Rio Novo do Sul”, informa a técnica em Desenvolvimento Ambiental e Recursos Hídricos do Instituto Estadual de Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Iema), Janine Scandiani.

Inscrições

A inscrição será realizada na Secretaria de Educação do município, com a pedagoga Gleice. O projeto Borboletras visa à dinamização das bibliotecas itinerantes, com acervo variado, além da realização de atividades educativas, como oficinas e palestras. A intenção é expandir o conhecimento, aproximando as comunidades do entorno da realidade das unidades de conservação quanto à preservação ambiental.

Para Janine Scandiani, a interpretação de trilhas é um importante método para a divulgação da educação ambiental nas escolas. “É transformar a teoria da sala de aula em prática, usando recursos ecológicos. As trilhas interpretativas são ferramentas diferenciadas que colocam em prática o conhecimento ambiental e ecológico, especialmente quando direcionadas a crianças e jovens, pois tornam-se um método diferente de ensinar”, avalia.

As trilhas interpretativas, guiadas ou autoguiadas, são recomendadas e utilizadas em interpretação ambiental por oferecerem oportunidades de um contato direto com o ambiente natural, direcionando o aprendizado e a sensibilização.

“As trilhas seriam instrumentos pedagógicos, recreativos e lúdicos que exploraram o raciocínio lógico, incentivam a capacidade de observação e reflexão, além de apresentarem conceitos ecológicos para o estímulo da prática da conservação”, complementa Janine Scandiani.

 

Informações à Imprensa:
Assessoria de Comunicação do Iema/Seama
Flávia Fernandes / Paulo Sena
(27) 3636-2592 / (27) 99977-1012
meioambiente.es@gmail.com

2015 / Desenvolvido pelo PRODEST utilizando o software livre Orchard