31/08/2019 08h16 - Atualizado em 31/08/2019 08h19

Iema e Idaf intensificam fiscalização contra roubo e comércio ilegal de cactos

Foto: Iema/Divulgação

A captura irregular de espécies ameaçadas de extinção levou o Instituto Estadual de Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Iema) e o Instituto de Defesa Agropecuária e Florestal do Espírito Santo (Idaf) a unirem esforços para intensificar o trabalho de controle e fiscalização contra o roubo e a venda ilegal do melocactus, mais conhecido como coroa-de-frade ou cabeça-de-frade, espécie que ocorre em áreas de restinga.

Essa espécie, assim como bromélias e orquídeas, está nas listas estadual e nacional de espécies ameaçadas de extinção. “Estamos intensificando o trabalho de controle e fiscalização junto com o Idaf e a Polícia Ambiental. De outra forma, temos trabalhado na divulgação de informações para que as pessoas não adquiriram essas espécies, ajudando assim na fiscalização, denunciando o comércio ilegal”, orienta a gestora do Parque Estadual Paulo César Vinha, em Guarapari, Joseany Trarbach.

Segundo ela, o comércio ilegal de espécies ameaçadas de extinção é registrado principalmente em feiras livres e em terminais de ônibus. “Temos registros de roubo do melocactus no Parque Estadual Paulo César Vinha desde 2018 e, recentemente, houve uma ocorrência. Assim, intensificamos o trabalho com o Idaf para verificar a questão da comercialização”, informa.

Documento obrigatório para comercialização

Para comercializar tais espécies, é necessário o Documento de Origem Florestal (DOF), obrigatório para o transporte de produto e subproduto florestal de origem nativa, inclusive o carvão vegetal nativo (instituído pela Portaria MMA n° 253/2006 e regulamentado pela Instrução Normativa MMA/Ibama nº 21/2014). Assim, melocactus, orquídeas e bromélias podem ser adquiridos de viveiros que tenham o DOF.

“É importante exigir o DOF de quem comercializa essas plantas, pois ele vai garantir a legalidade da extração de quem produziu essas mudas”, frisa o engenheiro agrônomo do Idaf de Guarapari Fernando Parreiras da Silva.

Denuncie o comércio ilegal de plantas:

Ligue para 0800-0221117 (Secretaria de Estado da Segurança Pública e Defesa Social – Sesp) ou 181 (Polícia Ambiental).

Informações à imprensa:

Assessoria de Comunicação do Iema/Seama
Flávia Fernandes / Paulo Sena
(27) 3636-2592 / (27) 99977-1012
meioambiente.es@gmail.com

Assessoria de Comunicação do Idaf
Francine Castro/ David A. Monteiro
(27) 3636-3774 / 98163-0601
comunicacao@idaf.es.gov.br

2015 / Desenvolvido pelo PRODEST utilizando o software livre Orchard