Governo do Estado do Espírito Santo

Parque Estadual Forno Grande

Foto: Terence J. Nascentes

Criado, em outubro de 1960, como Reserva Florestal, passou a Parque Estadual pela Lei Estadual nº 7.528, em 1998. O relevo é montanhoso com variação altimétrica de 1.600 a 2.039 metros, culminando no Pico do Forno Grande, um grande maciço rochoso granítico e cônico que pode ser avistado de grandes distâncias.  É o segundo ponto mais alto do Estado, só perdendo para o Pico da Bandeira. Nesta região das serras capixabas, predomina a colonização italiana. Os imigrantes que se estabelecerem por ali  passaram a identificar o pico como uma representação em grande escala de seus fornos de assar pães. A vegetação destaca-se pela presença de espécies endêmicas e pela formação florestal de altitude, muito rara no país. Sua fauna possui animais na lista de extinção, como a onça sussuarana e o gavião-pega-macaco. Em 1996 ouve registro da presença de uma onça-pintada, que pode ser observada em vídeo e fotos disponíveis no Centro de Visitantes, pode-se ver até mesmo uma de suas presas que foi perdida ao escapar de uma armadilha. No Centro de Visitantes há também uma rica exposição da fauna local.

DADOS GERAIS

Área: 913,15 ha   Download

Município de abrangência: Castelo

Bioma: Mata Atlântica

Domínio florestal: Floresta Ombrófila Densa Montana e Altimontana

CriaçãoDecreto nº 3385-R/2013

Conselho gestor: IS nº 205-S de 2014

Plano de Manejo (elaborado no ano 2000): Baixe aqui

Infraestrutura

  • Área de piquenique
  • Alojamento
  • Auditório
  • Banheiros
  • Bebedouros
  • Biblioteca
  • Centro de Visitantes
  • Escritório
  • Estacionamento
  • Recepção
  • Trilha sinalizada
  • Vigilância armada

Obs.: O Parque não possui lanchonete, restaurante ou área de camping.

ATENDIMENTO E CONTATO

Administrativo: De segunda a sexta de 08h às 17h

E-mail: pefg@iema.es.gov.br

Endereço: Estrada rural s/n. Distrito Forno Grande, Castelo-ES.

VISITAÇÃO 

Conheça as Novas regras de visitação devido à pandemia de COVID-19

*Confira as atualizações do Mapa de Gestão de Risco: Acesse aqui

Obs.: Dias e horários estão sujeitos a mudanças de acordo com a classificação municipal de risco por contaminação de Covid-19.

Dias e horários:

  • Centro de Visitantes (não necessita agendamento)
  • Trilhas (não necessita agendamento)
  • Pico do Forno Grande: De terça a sexta de 06h às 09h (Somente com agendamento por e-mail: agendamentofornogrande@gmail.com)
    • Obs.¹: Apenas 10 pessoas por dia.
    • Obs.²: É necessário o uso de equipamentos de escalada.

ATENÇÃO! Antes de acessar as trilhas baixe, preencha e entregue no Parque o Termo de Responsabilidade e Reconhecimento de Riscos

O que saber antes e durante sua visita ao Parque?

1 Siga as orientações da Conduta Consciente em Ambientes Naturais

  • Traga seu lixo de volta
  • Não faça pichações
  • Não faça coletas.
  • Não faça fogo
  • Evite levar caixas de som portáteis e drones 

2 Assine o Termo de Responsabilidade e Conhecimento de Risco

3 Conheça as normas de visitação, proibições e penalidades

ATRATIVOS

  • Centro de Visitantes: espaço com exposição permanente de animais taxidermizados da fauna do Parque. Há também informações sobre a vegetação e histórioco de criação da Unidade de Conservação. É neste local que os visitantes recebem orientações sobre sua visita e podem conhecer um pouco sobre a história da onça pintada. O Centro de Visitantes possui acessibilidade para cadeirantes, assim como banheiros e bebedouros.
  • Bromélias: na parte externa do Centro de Visitantes está uma exposição permanente de bromélias típicas da Mata Atlântica, onde é possível observar em seu interior algumas espécies de anfíbios, as chamadas "pererequinhas de bromélias".
  • Área de piquenique: logo atrás do Centro de Visitantes, subindo por uma pequena trilha, há um espaço para piquenique cercado de quaresmeiras e um mirante para a Pedra Azul.
  • Cachoeira: A cerca de 400 metros do Centro de Visitantes, seguindo por trilha é possível conhecer a cachoeira de Forno Grande. É uma cachoeira temporária de 30m de altura, com água nos meses de verão. Mas, mesmo sem água o lugar impressiona pela presença de enormes matacões e lajes de rocha granítica.
  • Gruta da Santinha: seguindo por mais 400 metros a partir da cachoeira, ou 800 metros a partir do Centro de Visitantes, chega-se à Gruta da Santinha. A gruta foi formada a milhares de anos pela erosão, fragmentação e empillhamento das rochas e tem este nome devido a presença de uma pequena estatueta de N.S.Aparecida. Foi deixada por um antigo funcionário do Parque, Sr. Alair Tedesco, principal responsável pela criação e manutençao das trilhas, ao subir a montanha para trabalhar, sempre parava ali para uma oração.
  • Poços Amarelos: A 1200 metros do Centro de Visitantes estão as piscinas naturais formadas e trabalhadas pela água nas fraturas da rocha. Devido a presença mineral nas rochas, assim como da matéria orgânica de plantas em decomposição, a água ganha um tom de cor amarelada, possibilitando lindas fotos, além de um refrescante banho.
  • Trilha Mirante da Pedra Azul: A cerca de 2.150 metros do Centro de Visitantes, depois dos Poços Amarelos, chega-se por trilha ao mirante natural da Pedra Azul. Do alto de uma encosta se tem uma deslumbrante vista da Pedra Azul, Pedra do Lagarto e Pedra das Flores, além de um exuberante tapete verde formado pela vegetação. Tempo previsto: 3h30 (ida e volta)
  • Pico do Forno Grande: Com 2.039 metros de altitude é considerado o segundo ponto mais alto do Espírito Santo. Para acessar o pico é necessário percorrer 3.500 metros desde do Centro de Visitantes, passando por trechos muito íngrimes, sendo necessário o uso de equipamentos especiais para escalada. A visita ao pico é realizada somente com agendamento prévio. Tempo previsto: 06h (ida e volta).

COMO CHEGAR:

2015 / Desenvolvido pelo PRODEST utilizando o software livre Orchard